54º Festival do Folclore levou público recorde de 30 mil pessoas para o Recinto

0
15
54º Festival do Folclore levou público recorde de 30 mil pessoas para o Recinto
54º Festival do Folclore levou público recorde de 30 mil pessoas para o Recinto

O 54ª Festival do Folclore da Estância Turística de Olímpia  está colorindo a Capital Nacional do Folclore. Somente no primeiro dia de atividades, dia 4, a Abertura Oficial atraiu mais de 30 mil pessoas para o Recinto do Folclore.

Segundo a Comissão Organizadora da festa, o público é recorde na história do evento.

“Nas catracas das duas entradas do Recinto passaram 30 mil pessoas. Somando os quase 2 mil integrantes de grupos, mais pessoal de apoio, imprensa e comissão organizadora, que entram pelo estacionamento de baixo do Recinto, chegamos a um público de 35 mil”, conta o presidente da Associação Olimpiense de Defesa do Folclore Brasileiro (AODFB), Davi Mendes.

Com o tema “Cabe o mundo inteiro no balaio brasileiro”, a cerimônia de abertura teve início  com o hasteamento das bandeiras e execução dos hinos Nacional e de Olímpia, este último com a exibição de um vídeo especial inédito, reunindo artistas olimpienses, em homenagem à história da cidade.

O espetáculo de abertura contou com a participação de 300 crianças da rede municipal de ensino, além de alunos da ETEC “Professor José Carlos Seno Junior”, da escola estadual Capitão Narciso Bertolino, grupos Frutos da Terra, Anástasis, grupos de teatro Arte na Alma e Camaleões, e o artista circense Admur.

A concepção e o roteiro foram de autoria do professor Edward Marques da Silva (Wadão); coreografia e montagem do professor Tiago Lourenço Pessoa; alegorias e figurinos da professora Carmem Silvia Madureira e direção geral da secretária Municipal de Educação, professora Maristela Ap. Araújo Bijotti Meniti.

A apresentação encheu os olhos do público do festival, envolvendo movimentos, sons, traços e cores que mostraram a formação étnica e cultural do povo brasileiro. O show trouxe características das culturas europeias, ameríndias, africanas e de outras vertentes que vão se juntando a outras sementes e formando o imenso balaio chamado Brasil. “Sou a gema, sou a brasa, sou a cara, sou a massa, do Brasil”, diz o roteiro do professor Wadão Marques.

Aliando o enredo à marca do Jubilei de Milho, comemorado pela 54ª edição do Festival, o show utilizou diversos sotaques, acordes, passos e profundas expressões, utilizando o cereal como elemento de ligação entre as diversas manifestações culturais. Além disso, o espetáculo trouxe o universo lúdico de Monteiro Lobato se entrelaçando com a alvorada indígena de Carlos Gomes, desembocando na ciranda afro-brasileira e envolvendo cantos de todos os cantos.

Após o espetáculo, que encantou o público presente, 17 grupos participantes do festival desfilaram pela arena do Recinto.

 

CERIMÔNIA

A ocasião foi prestigiada pelo prefeito Fernando Cunha, pelo vice Dr. Fábio Martinez, acompanhado da presidente do Fundo Social, Kuka Martinez; a secretária de Cultura, Esportes e Lazer, Tina Riscali e demais secretários municipais presentes; o presidente da Associação Olimpiense de Defesa do Folclore Brasileiro Davi Mendes; Clarismundo Sant’anna, irmão do saudoso professor José Sant’anna e Maria de Jesus Miranda, eterna “Maria do Museu”, que dá nome ao segundo palco do Festival.

Também estiveram presentes na cerimônia as seguintes autoridades: Bianca Colepicolo, secretária-adjunta de Turismo do Estado de São Paulo, representando o governador Márcio França e o secretário de Turismo do Estado, Junior Aprillanti; o prefeito de São José do Rio Preto, Edinho Araújo, que quando deputado foi relator, na Câmara Federal, do projeto de Lei 6150/2013, que confere ao Município de Olímpia o título de Capital Nacional do Folclore, acompanhado da esposa Maria Elza, os deputados estaduais Itamar Borges, Beth Sahão e Roberto de Lucena.

Após os discursos, o prefeito Fernando Cunha declarou aberto o 54º Festival do Folclore e uma chuva de serpentinas coloriu o palco e a arena do Recinto do Folclore, substituindo, assim, a queima de fogos de artifício, solicitação de grande parte da população.

 

ATIVIDADES

Com a abertura oficial, o primeiro dia de festa contou com sete apresentações de grupos no palco principal e seis no palco B “Maria Jesus de Miranda”, além de atividades nas barracas, na Vila Brasil e por todo o Recinto.