Concurso Comida di Buteco movimenta bares participantes

0
53

Fãs de “butecos”, clientes assíduos e até caravana de amigos. O concurso Comida di Buteco tem lotado os bares participantes em Rio Preto e Mirassol. O aumento no movimento chegou a dobrar em parte dos estabelecimentos desde que começou a disputa, no dia 12 de abril.

São pessoas interessadas em provar os novos sabores, tomar uma bebida gelada e ajudar a escolher o melhor buteco do Brasil. Um dos atrativos deste ano é o preço. Todos os petiscos concorrentes tem o valor fixo de R$ 20 em comemoração aos 20 anos de história do concurso no Brasil – em Rio Preto são 10 anos.

Na disputa local, são 12 bares de Rio Preto e 3 de Mirassol. Um deles é o Bendito Botequim, bar que dobrou as vendas desde que começou o concurso.

“Antes estava muito parado, estávamos com pouco movimento, o que era ruim para o negócio. Com o Comida di Buteco isso melhorou muito. Afinal, dobrou as vendas”, afirma Rodrigo Lacerda, proprietário do Bendito Botequim.

Os proprietários do Farofa Butiquim, na Vila Santa Cruz, tiveram até de começar a abrir também às terças-feiras por conta do grande número de clientes.

“Não abríamos às terças, mas cresceu muito o movimento, por isso tivemos de rever isso para atender mais e melhor os clientes durante o Comida di Buteco”, diz Danielle Singolan, uma das administradoras do bar.

No Gambófa, no bairro Vila Aurora, quem trabalha na cozinha está tendo que se desdobrar para produzir os minipães franceses caseiros que são um dos itens do Mr. Pig, prato concorrente deste ano.

“Está vendendo tudo. Estamos tendo de acelerar a produção”, explica Eduardo Neris, proprietário do bar.

O concurso também está gerando novas vagas de emprego. No Buteko do Fidélis, o aumento no número de clientes foi de 40%, o que levou a necessidade de mais contratações.

“A grande vantagem desse aumento, além de melhorar nossas vendas, foi que contratamos mais funcionários. Tem várias pessoas que chegam no bar e comentam que nos viram na TV. Isso tudo é muito gratificante”, afirma Fidélis, proprietário do Buteko do Fidélis.

Ainda dá tempo de provar as delícias do concurso. O Comida di Buteco – que teve origem em 2000, na cidade de Belo Horizonte, e ocorre em 21 cidades simultaneamente – vai até o dia 5 de maio em Rio Preto.

O concurso tem a missão de transformar vidas por meio da cozinha raiz. São estabelecimentos em que os proprietários estão à frente do negócio, não pertencendo a redes ou franquias. Têm a identidade do dono e, muitas vezes, funcionam como extensão de sua casa e envolvem outras pessoas da família.

Dos 15 bares que participam na edição de Rio Preto este ano, oito são estreantes. O atual bicampeão é o Bar do Cidinho. Além dos petiscos concorrentes feitos exclusivamente para o concurso, os clientes podem desfrutar de pratos feitos com linguiça calabresa defumada Perdigão elaborados pelos estabelecimentos para participar do Desafio Perdigão, uma disputa que ocorre paralelo ao concurso.

 

Bares participantes e petiscos:

 

Bar do Cidinho – Pilãozinho Caipira

Bar do Magrão – Bolinho Fuscaldo

Bendito Botequim – Bendito Cupim no Tacho

Buteko do Fidelis – Linguiça Dona Ana

Chimboca Bar (Mirassol) – Linguiça de Costela

Dina’s Bar – Codorna do Dina’s

Eisbar – Porcolícia

Espeteria Dallas (Mirassol) – Recheadinho de Oliva

Farofa Butiquim – Atunzera

Fino Sabor – Kibe do Capitão Jack

Gambófa – Mr. Pig

Santo Arco (Mirassol) – Bolinho de Costela

Seu Garçom – Bolinhos da Mama 20

Toca da Coruja – Ninho da Coruja

Valumania – Petisco Valu Calabre

Artigo anteriorFeijoada dos Amigos  , The Beauty Box, Padre Fábio de Melo, Mães e Filhos em Foco e mais
Próximo artigoOs 20 anos do Gr Group, Ice Bar BC, Wyndham Hotels & Resorts em Olímpia e Feijoada de Jorge
Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.