Oficina Cultural Fred Navarro abre inscrições para atividades do 4º trimestre de 2014

0
74
 NestorLombida

NestorLombida

Estão abertas as inscrições para a programação do 4º trimestre de 2014. São oferecidas 495 vagas para 8 atividades que incluem oficinas, palestras, shows, entre outras.

Entre os destaques da programação está o PROJETO: OLHOS NEGROS  que tem como objetivo colaborar com a difusão e debate acerca da cultura, dos saberes e do histórico de contribuição da população negra à sociedade brasileira. Abrangendo diferentes áreas, as atividades do projeto visam estimular a reflexão sobre a história e a importância da presença dos afrodescendentes na constituição cultural e socioeconômica do país, além de permitir um debate sobre a situação atual.

No dia 4 de novembro ocorre a abertura da EXPOSIÇÃO O OLHAR DOS ARTISTAS AFRODESCENDENTES DE RIO PRETO, com obras dos artistas Cláudia Prestes, Daniel Firmino, Florêncio Duarte e Rodrigo Silva. A exposição pretende homenagear e reconhecer a arte negra rio-pretense, com obras que mostram o olhar de pintores afrodescendentes de nossa cidade acerca do Dia da Consciência Negra. A mostra fica em cartaz até dia 29 na Oficina Cultural.

No dia 1 de novembro, acontece o WORKSHOP DE DANÇA AFRO-BRASILEIRA, coordenado pela professora de Educação Física Olívia Justo e pela artista visual Cláudia Prestes. O workshop propõe uma vivência das danças de influência predominantemente negras, como batuque, tambor de crioula e maracatu, priorizando o ensino de passos e a preparação do corpo para as danças por meio de brincadeiras e imagens. Traz ainda conteúdos teóricos sobre os contextos de formação e resistência da dança afro-brasileira.

No dia 22, a unidade promove a PALESTRA: A INFLUÊNCIA AFRICANA NA MÚSICA POPULAR DAS AMÉRICAS. Coordenada pelo maestro Nestor Lombida. O maestro falará sobre os laços histórico-culturais que unem África e América, demonstrando, com exemplos de blues, jazz, rock, funk e samba, como a forte presença da cultura e dos estilos musicais dos povos africanos contribuíram na formação da identidade musical das nações que compõem o continente americano.

O Ciclo de Filmes: por um cinema negro e feminino, acontece entre 5 e 26 de novembro, com sessões sempre às quartas-feiras, às 19h. Com um debatedor convidado a cada semana, o ciclo apresentará quatro filmes nacionais que pretendem difundir e debater a cultura africana sob uma ótica específica: a da mulher negra. Assim, buscam-se diferentes narrativas que, a partir dos pontos de vista e das vozes femininas negras, sejam capazes de mostrar histórias de lutas, resistências, protagonismos, sonhos, afeto e memória.

O evento abre com o documentário 25 de Julho: Feminismo Negro Contado Em 1º Pessoa. Por meio de entrevistas com mulheres negras moradoras da cidade de São Paulo, o filme discute o significado do Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha, tratando sobre o desconhecimento da data e das dificuldades de ser uma mulher negra na nossa sociedade machista e racista. O filme de Avelino Regicida obteve grande repercussão na mídia nacional e internacional, sendo exibido em diversos espaços culturais, eventos e cineclubes.

No dia 12, acontece a sessão de Cinderelas, Lobo e Um Príncipe Encantado. O filme trata das íntimas questões ligadas ao turismo sexual no Brasil e a dura realidade do tráfico internacional de pessoas. O diretor Joel Zito Araújo vai do nordeste brasileiro a Berlim, buscando entender os imaginários sexuais, raciais e de poder que envolvem este lucrativo comércio cujos alvos principais são mulheres (em sua maioria, negras), travestis e crianças. Os debates serão coordenado pelo militante e sociólogo Galvão.

No dia 19 será exibido o premiado Estamira. Dirigido por Marcos Prado, o documentário conta a história de uma mulher que sofre de distúrbios mentais e trabalha há mais de vinte anos no aterro sanitário do Jardim Gramacho, que recebe diariamente cerca de oito mil toneladas de lixo produzido no Rio de Janeiro. Com um discurso eloquente, filosófico e poético, a personagem central do documentário levanta de forma íntima questões como o destino do lixo produzido pelos habitantes de uma metrópole e os subterfúgios que a mente humana encontra para superar uma realidade insuportável de ser vivida. A socióloga Maria Valéria Barbosa coordenará este debate.

Com o maior elenco negro de um filme nacional, Filhas do Vento, que será exibido no dia 26, faz um questionamento das relações pessoais e sociais que as personagens centrais, duas irmãs com sonhos diferentes, enfrentam. O diretor Joel Zito Araújo confronta o universo feminino com o modelo de cultura patriarcal, e mostra as dificuldades de inserção da negra na sociedade e na mídia. Niminon Suzel, pós-doutora em Antropologia pela Unesp, coordenará as discussões após a sessão.

Programação:
CICLO DE FILMES: POR UM CINEMA NEGRO E FEMININO
5 a 26/11 – quartas-feiras – 19h às 22h
Público: interessados a partir de 16 anos
Seleção: primeiros inscritos
30 vagas por sessão

Programa:
Dia 5: 25 de Julho: Feminismo Negro Contado Em 1º Pessoa
Debatedor: Galvão
Inscrições: 23/10 a 4/11

Dia 12: Cinderelas, Lobo e Um Príncipe Encantado
Debatedor: Galvão
Inscrições: 29/10 a 11/11

Dia 19: Estamira
Debatedora: Maria Valéria Barbosa
Inscrições: 1 a 18/11

 Dia 26: Filhas do Vento
Debatedora: Niminon Suzel
Inscrições: 13 a 25/11

PROJETO ESPECIAL: OLHOS NEGROS
EXPOSIÇÃO: O OLHAR DOS ARTISTAS AFRODESCENDENTES DE RIO PRETO
Artistas: Cláudia Prestes, Daniel Firmino, Florêncio Duarte e Rodrigo Silva
4 a 29/11 – terças a sextas-feiras – 13h às 22h | sábados – 9h às 18h
Classificação: livre

WORKSHOP DE DANÇA AFRO-BRASILEIRA
Coordenação: Olívia Justo e Cláudia Prestes
1/11 – sábado – 9 às 12h e 13h às 16h
Público: interessados a partir de 16 anos
Inscrições: 15 a 29/10
Seleção: primeiros inscritos
20 vagas

PALESTRA: A INFLUÊNCIA AFRICANA NA MÚSICA POPULAR DAS AMÉRICAS
Palestrante: Nestor Lombida
22/11 – sábado – 9h às 13h
Público: músicos, artistas, educadores e demais interessados a partir de 16 anos
Inscrições: 1 a 20/11
Seleção: primeiros inscritos
20 vagas
 

Oficina Cultural Fred Navarro
Rua Jorge Tibiriçá, 3.243, Parque Industrial, 15025-060
São José do Rio Preto/SP
Telefone: (17) 3212-9235 / 3234-2405
Funcionamento: Terça a sexta-feira das 13h às 22h
Sábados das 9h às 18h

Artigo anteriorO ESPETÁCULO NÃO VAMOS PAGAR! ESTREIA NO SESI SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
Próximo artigoRapidinhas- Miss Bumbum Bahia Yara Muniz , Sincomerciários, Carlos Jereissati Filho, Muar do Sertão, IBS Consultoria e Gestão, Armarinhos Caic ,
Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.