Piaui, Risonha, entre dois rios que te abraçam

0
85
Delta do Rio Parnaíba

“Risonha, entre dois rios que te abraçam”. Esse trecho do hino de Teresina (PI) descreve muito bem a capital piauiense. Única capital nordestina a não ser banhada pelo mar, a cidade tem no encontro dos rios Poti e Parnaíba um dos grandes atrativos turísticos do estado.


 Conhecida como uma das cidades mais verdes do país, Teresina é composta por diversos espaços naturais, como o Parque Municipal do Encontro dos Rios. Além deste belo fenômeno da natureza, o turista que for ao local terá à disposição restaurante, trilhas, mirantes e áreas para a prática de esportes aquáticos.

Na ponte estaiada João Isidoro França há um mirante que dá vista para toda a cidade e para o rio Poti. Lá também o turista poderá conhecer o artesanato piauiense, como o Polo Cerâmico e, claro, provar a Cajuína, bebida mais popular do Piauí, feita a base de caju.
 

Ainda às margens do Rio Poti, em Teresina, é possível visitar a única floresta fóssil do Brasil . Ela fica numa área urbana, com itens datados há cerca de 280 a 270 milhões de ano. Nas Américas, os troncos fossilizados achados nessa floresta só são encontrados na capital piauiense e no Parque de Yellowstone, nos Estados Unidos. Ou seja, é imperdível.

Seguindo o curso das águas, chegamos aos Cânions do Rio Poti. Situado, principalmente, nos municípios de Buriti dos Montes, Castelo do Piauí e Juazeiro do Piauí. Além da paisagem exuberante , o local é indicado para prática de esportes de aventura como rapel, canoagem, ciclismo e trekking, figurando entre os mais radicais e belos roteiros ecoturísticos do Brasil.

O turista pode realizar ainda trilhas ancestrais, visualizar inscrições rupestres e acompanhar a transição da vegetação entre a caatinga, o carrasco e o cerrado.
 

Falar de rios piauienses e não citar o Parnaíba, é quase um pecado capital. O rio separa os estados do Piauí e do Maranhão e desagua no Oceano Atlântico em forma de delta e dezenas de ilhas, dunas e muitas opções de passeios para conhecer as belezas naturais da região.

O Delta do Rio Parnaíba é o único em mar aberto das Américas e o terceiro maior do mundo – atrás apenas dos rios Mekong (Vietnã) e Nilo (África). Possui 2.700 m² e 83 ilhas e ilhotas, mas com o passar dos anos e o movimento das águas o número varia. Assim, a cada visita os turistas encontram um novo cenário.
 

Os passeios de barco pelo Delta duram de três a quatro horas. Na mata e nos manguezais que acompanham o delta é possível ver exemplares da fauna da região — jacarés, iguanas, capivaras, tatus e até macacos, como o prego. Ainda é possível apreciar uma gastronomia marcada pelos sabores do sertão nordestino.

As tradições regionais também se apresentam no artesanato e demais manifestações culturais. O Delta do Parnaíba, juntamente com Jericoacoara (CE) e os Lençóis Maranhenses (MA), faz parte da Rota das Emoções.

Fonte – Agência de Notícias do Ministério do Turismo