Rio Preto chega ao 15° óbito e 455 casos confirmados

0
299

Rio Preto inicia a semana com a confirmação do 15 óbito causado pelo coronavírus (Covid-19). Trata-se de uma mulher de 60 anos que apresentou os primeiros sintomas no dia 26 de abril. Ela permaneceu internada vindo a falecer no domingo, dia 17. A vítima apresentava comorbidades.

Com a nova morte confirmada o índice de letalidade em Rio Preto é de 3,2% no universo de 98 casos positivos para cada 100 mil habitantes. No Brasil o índice é de 6% e no Estado de São Paulo 7,6%.

Ao todo, desde o início da pandemia, foram atendidos pelo sistema de saúde local 6.085 pessoas com algum tipo de síndrome gripal. Destas 3.418 foram testadas, o que corresponde a 56% do total. Dos testes, 2.963 foram descartados para Covid-19, restando agora 455 pessoas contaminadas pela doença em Rio Preto.

São 133 recuperados, 107 contaminados que atuam na área da saúde e 77 apresentaram a síndrome respiratória aguda grave (SRAG). O índice de incidência da doença subiu para 98 casos para cada 100 mil habitantes.

Dos 15 óbitos registrados, 80% foram em pessoas com mais de 80 anos (7 do sexo feminino e 8 do sexo masculino). Entre o percentual de doenças e/ou condições pré-existentes nos óbitos as doenças cardiovasculares lideram as estatísticas com 43%. Obesidade e problemas no pulmão (pneumopatias) aparecem com 12% e 3%, respectivamente.

“Mesmo as outras pessoas, abaixo de 60 anos, tinham alguma comorbidade, uma condição, fator de risco, obesidade, tabagista, a gente associa como fator de risco”, explica a gerente a vigilância epidemiológica da secretaria de Saúde, Andréia Negri.

O tempo médio entre o início dos sintomas e a confirmação do óbito gira em torno de 15 dias. No entanto, 6 mortes ocorreram entre 4 a 10 dias, 4 entre 11 a 17 dias, outros 4 entre 18 a 25 dias, e um caso entre 26 a 32 dias.

“Essas pessoas também ficaram internadas e ocuparam os leitos. Mas temos também muitos casos que internam e ficam de 20 a 30 dias e felizmente saem de alta do hospital. Pedimos ainda, o nosso motivo é manter nosso isolamento social. Quem tem algum sintoma, febre, tosse, coriza, fique no seu domicílio, não vai trabalhar. Não visite parente idoso, porque é importante conseguir preservá-lo”, destaca Andréia Negri.

 

Em relação as SRAG são 516 notificações, sendo que 92 permanecem internados (70 em enfermaria e 22 em UTI).

 

Durante a atualização dos números de coronavírus nesta segunda-feira, dia 18, a gerente da vigilância epidemiológica Andréia Negri confirmou que a Prefeitura de Rio Preto recebeu do Estado 6.500 testas rápidos para detecção da doença. Trata-se de um teste diferente do chamado PCR.

 

“É um teste rápido, sorológico, com data determinada para ser coletado. A sensibilidade desses exames não é tão boa como o PCR. É uma ampliação dos testes. Não anula as compras que estamos fazendo, que são de PCR. O teste rápido vai ser utilizado a partir do 8 dia dos sintomas. Exames diferentes com o mesmo objetivo de diagnosticar a doença”, explica Andréia.

 

Sobre o Projeto Sentinela, que testa pessoas com síndrome gripais leves, a Saúde local tem coletado de 40 a 50 exames por dia. A meta é coletar até 30% de todo o atendimento feito nas unidades de saúde.

 

Artigo anteriorRio Preto registra a 14ª morte e 438 casos de Covid-19 na cidade
Próximo artigoMinistério Público notifica Prefeitura e barbearias e salões de beleza voltam a fechar
Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.