Atividades Formativas da Mostra Cênica 2017 têm Oficina com Valmir Santos e rodas de reflexão

0
134

Estão abertas as inscrições para as Atividades Formativas da Mostra Cênica 2017. Com o tema Resistências, a Mostra Cênica começa dia 8 de fevereiro e segue até o dia 12 do mesmo mês. A Mostra acontece em  Rio Preto/SP, com a participação de grupos de teatro locais e de outras cidades do interior paulista e também da Capital, e dos Estados do Espírito Santo e de Minas Gerais. Ao todo são  22 montagens em sete pontos da cidade.

Além dos espetáculos, o evento traz em sua programação ações gratuitas. A ideia é promover o conhecimento e a troca de experiências entre seus participantes – tanto artistas, companhias e profissionais da área quanto espectadores.

As Atividades Formativas contemplam duas oficinas, uma vivência, um bate-papo e três rodas de conversa. É possível se inscrever pela internet, no link: https://goo.gl/forms/CD75Ctqxf1dtfY062. Para todas as atividades, a seleção será por ordem de inscrição. As inscrições acontecem até que todas as vagas sejam preenchidas.

Destinada a artistas, jornalistas, estudantes e demais interessados em crítica teatral, a oficina “Diálogo sobre a Prática da Crítica”, ministrada pelo jornalista e crítico Valmir Santos (foto capa),  pontua noções da prática da crítica em teatro. A oficina tem carga horária de seis horas e será realizada nos dias 8 e 9. São apenas 20 vagas.

Como desdobramento da oficina de Valmir Santos, a Mostra Cênica oferece análises sobre os espetáculos apresentados na seção Painel Crítico. Serão disponibilizadas em um mural no Bar Cultural do evento, instalado no Cursinho Alternativo, e na página da Cia. Cênica na internet, as impressões de três convidados: o ator e jornalista Harlen Félix, o ator e diretor Homero Ferreira e o pesquisador teatral Rodolfo Kfouri.

 

Outras atividades

Sandra Vargas, uma das fundadoras do Grupo Sobrevento, de São Paulo, um dos maiores expoentes brasileiros do teatro de animação, é responsável pela oficina “Teatro de Objetos”, voltada a atores e artistas maiores de 14 anos, arte-educadores e professores. A atividade será desenvolvida no Sesc.

A músico-educadora Claudia Borges ministra a vivência “Música e Movimento”, que oferecerá aos participantes práticas lúdicas por meio de rodas cantadas com canções de domínio público, cantos de trabalho, cirandas e percussão corporal. A atividade será na Casa de Cursilho. O espaço também abrigará o bate-papo “Curadoria – Mostras, Festivais e Circuitos”, destinado a artistas, produtores, gestores culturais e demais interessados.

Por fim, as rodas de conversa  refletem sobre o tema da Mostra, pensando o teatro em suas várias formas de resistência, envolvendo concepções, escolhas e práticas de criação, produção, manutenção, circulação, difusão, organização e protagonismo em políticas públicas. Intituladas “Rodas de Resistências”, elas terão mediação da atriz, diretora e pesquisadora teatral Juliana Calligaris e serão divididas em três eixos: Temáticas e Estéticas, Produção e Manutenção, e Redes e Coletivos.

 

Espetáculos

Em sua segunda edição, a Mostra Cênica é uma realização da Cia. Cênica – companhia de teatro rio-pretense que completa 10 anos em 2017 -, do Governo do Estado e da Secretaria de Cultura, por meio do ProAC (Programa de Ação Cultural), em parceria com a Prefeitura, Sesc Rio Preto, Cursinho Alternativo, Sindicato dos Comerciários, Sindicato dos Servidores Públicos Municipais e Sesi Rio Preto.

Neste ano, a Mostra proporciona ao público o contato com o espírito de resistência presente no fazer teatral, seja pela temática ou estética, meios de existência e manutenção de grupos e coletivos ou, ainda, formas de criação, produção e difusão. Além dos teatros, espaços não convencionais para apresentações servirão de palco, como praças e locais alternativos, a exemplo do Graneleiro da Swift, que receberá duas sessões da montagem “Só”, do Grupo Sobrevento.

O espetáculo escolhido para abrir a Mostra Cênica 2017 é “Ofélia/Hamlet/Rock Machine”, da Cia. Teatro de Riscos, de Ribeirão Preto, uma obra cênico-musical criada a partir do texto “Hamlet Machine”, de Heiner Müller, e do livro “O Novo Tempo do Mundo”, de Paulo Arantes. A catástrofre da história e da cultura ocidental apresentada nas ruínas da Europa do século 20, proposta por Heiner Müller, serve de inspiração para o grupo trazer à cena os conflitos sociais, políticos e culturais do Brasil depois das manifestações de junho de 2013. A encenação e o texto final são de Carlos Canhameiro.

A programação contará com cinco trabalhos inéditos de grupos locais, entre performances e cenas curtas.

O Cursinho Alternativo abrigará o Bar Cultural da Mostra Cênica, que receberá as performances e apresentações musicais.

Toda a programação é gratuita. Os ingressos para os espetáculos poderão ser retirados com uma hora de antecedência nos locais de apresentação.

Mais informações sobre a Mostra Cênica 2017 estão disponíveis no site: http://ciacenica.com.br/sit/mostracenica2017/ e no Facebook: https://www.facebook.com/cia.cenica/.

 

PROGRAMAÇÃO COMPLETA DAS ATIVIDADES FORMATIVAS:

 

OFICINA: Diálogo sobre a Prática da Crítica

Com Valmir Santos, jornalista, crítico teatral com mestrado em Artes Cênicas pela USP, idealizador e coeditor do site Teatrojornal – Leituras de Cena. Serão abordadas ferramentas para análise dos principais elementos constitutivos e expandidos da cena; procedimentos técnicos, estilísticos e éticos do ofício; e breve panorama histórico da crítica no jornalismo brasileiro e seu atual campo de pesquisa na universidade.

Dias 8, das 15h às 18h, no Sesc, e 9 de fevereiro, das 9h às 12h, na Casa de Cursilho. (Público-alvo: artistas, jornalistas, estudantes de teatro, jornalismo e letras, e interessados em crítica teatral – 20 vagas).

 

OFICINA: Teatro de Objetos

Com Sandra Vargas, diretora, atriz, dramaturga e uma das fundadoras do grupo Sobrevento (São Paulo/SP). Partindo dos princípios básicos para a utilização da linguagem do Teatro de Objetos e da compreensão do grupo Sobrevento a respeito da mesma, cuja força está no trabalho do ator como ator e não como manipulador, os participantes buscarão construir uma dramaturgia pessoal.

Dias 09 e 10 de fevereiro, das às 15h30 às 18h30, no Sesc Rio Preto. (Público-alvo: atores e artistas maiores de 14 anos, arte-educadores e professores das áreas de artes e letras – 20 vagas).

 

VIVÊNCIA: Música e Movimento

Com Claudia Borges, músico-educadora, agitadora cultural e professora de musicalização. A vivência oferecerá aos participantes práticas lúdicas por meio de rodas cantadas com canções de domínio público, cantos de trabalho, cirandas e percussão corporal.

Dia 11 de fevereiro, das 10h às 12h, na Casa de Cursilho. (Público-alvo: artistas, arte-educadores, professores e interessados em música – 30 vagas).

 

BATE-PAPO: Curadoria – Mostras, Festivais e Circuitos

Curadores, vinculados ou não a instituições, discutirão os procedimentos e metodologias utilizados na curadoria de eventos teatrais que compõem a cena contemporânea.

Dia 10, das 10h às 12h, na Casa de Cursilho. (Público-alvo: artistas, produtores, gestores culturais e demais interessados na área – 30 vagas).

 

RODAS DE RESISTÊNCIAS

Rodas de discussão que propõem reflexões sobre o teatro em suas várias formas de resistência, envolvendo concepções, escolhas e práticas de criação, produção, manutenção, circulação, difusão, organização e protagonismo em políticas públicas. Mediação de Juliana Calligaris.

Dia 9, das 13h30 às 15h15, Roda de Resistências I – Temáticas e Estéticas. Dia 10, das 13h30 às 15h15, Roda de Resistências II – Produção e Manutenção. Dia 11, das 13h30 às 15h15, Roda de Resistências III – Redes e Coletivos.

Local: Casa do Cursilho.  Público-alvo: artistas, produtores, gestores culturais e demais interessados. 30 vagas por roda.

 

PROGRAMAÇÃO COMPLETA DOS ESPETÁCULOS:

 

Dia 8, quarta-feira

 

Abertura

20h – Sesc Rio Preto – Teatro

Ofélia/Hamlet/Rock Machine (Cia. Teatro de Riscos – Ribeirão Preto/SP)

22h – Cursinho Alternativo – Sala 2

O Bebê de Ouro (Cia. Ai de Nós – São José do Rio Preto/SP)

 

22h30 – Cursinho Alternativo – Sala 1

Janelas para uma Mulher (Cia. Trilhas da Arte – Campinas/SP)

 

23h30 – Cursinho Alternativo – Bar

PSICOPATA (Cia. Palhaço Noturno Teatro – São José do Rio Preto/SP)

 

Dia 9, quinta-feira

 

18h – CEU das Artes “Aristides dos Santos” – Núcleo Nova Esperança

Contos de Reis (Cia. Espagírica de Teatro – São José do Rio Preto/SP)

 

19h30 – Sesi – Teatro

Pé na Curva (Cia. de 2 – São José dos Campos/SP)

 

21h – Cursinho Alternativo – Sala 2

RESET LOVE (theURGIA – São José do Rio Preto/SP)

 

21h30 – Cursinho Alternativo – Sala 1

A Vida é Sonho (Cia. Teatral Boccaccione – Ribeirão Preto/SP)

 

23h30 – Bar – Cursinho Alternativo

Corte um Pedaço (Zé Antônio Borges – São José do Rio Preto/SP)

 

Dia 10, sexta-feira

 

16h – Praça das Rosas (Jardim Seixas)

Memórias de um Quintal (Insensata Cia. de Teatro – Belo Horizonte/MG)

 

19h30 – Sesi – Teatro

Vidas Secas (Caravan Maschera Teatro – Atibaia/SP)

 

21h – Cursinho Alternativo – Sala 2

Cérebro de Elefante (Cia. Ir e Vir – São José do Rio Preto/SP)

 

22h – Cursinho Alternativo – Sala 1

Perdoa-me por me Traíres (Teatro Kaô – São Mateus/ES)

 

23h30 – Cursinho Alternativo – Bar

Odhara (Cia. Poleiro dos Anjos – São José do Rio Preto/SP)

 

Dia 11, sábado

 

16h – Praça Santa Apolônia – Engenheiro Schmidt

Coração dos Teatros Rodantes (Andaime Teatro Unimep – Piracicaba/SP)

 

19h e 21h – Graneleiro – Swift

Só (Grupo Sobrevento – São Paulo/SP)

 

21h – Cursinho Alternativo – Sala 2

Réquiem para um Rapaz Triste (Teatro do Indivíduo – São Paulo/SP)

 

22h – Cursinho Alternativo – Sala 1

E Toda Vez que Ele Passa, Vai Levando Qualquer Coisa Minha (Delirivm Teatro de Dança – São Simão/SP)

 

23h – Cursinho Alternativo – Bar

PUTO! (GAL – Grupo de Apoio à Loucura – São José do Rio Preto/SP)

 

Dia 12, domingo

 

15h – Sesc – Teatro

Salve, Malala! (Cia. La Leche – São Paulo/SP)

 

17h – Praça das Rosas (Jardim Seixas)

Blitz – O Império que Nunca Dorme (Trupe Olho da Rua – Santos/SP)

 

20h – Cursinho Alternativo – Sala 1

MUNDOMUDO (Cia. Azul Celeste – São José do Rio Preto/SP)

 

ATRAÇÕES MUSICAIS DO BAR CULTURAL (SEMPRE À MEIA-NOITE):

 

Dia 8, quarta-feira: André Fernandes

Dia 9, quinta-feira: Zeca Barreto

Dia 10, sexta-feira: Griot’s

Dia 11, sábado: Os 3 do Balanço

 

ENDEREÇOS:

Cursinho Alternativo: Av. Nossa Senhora da Paz, 1032 (acesso pela Rua Pedro de Carvalho) – Jd. Alto Alegre

Sesc Rio Preto: Av. Francisco Chagas Oliveira, 1333 – Chácara Municipal

Sesi Rio Preto: Av. Duque de Caxias, 4656 – Jd. dos Seixas

Praça das Rosas: Av. das Hortências, altura do nº 180 – Jd. dos Seixas

Graneleiro (Complexo Swift): Av. Duque de Caxias, s/n – Jd. dos Seixas

CEU das Artes Aristides dos Santos: Rua Robson Augusto Lopes Diaveiro, s/n (antiga Rua 17) – Parque Nova Esperança

Praça Santa Apolônia: Centro do Distrito de Engenheiro Schmidt

Casa de Cursilho: Rua Raul Silva, 2239 (acesso pela Rua Dr. Synésio de Melo Oliveira) – Nova Redentora

 

Artigo anteriorProjeto Guri abre mais 900 vagas para o primeiro semestre de 2017 na região de  Rio Preto
Próximo artigoTocando em Frente reúne Almir Sater, Renato Teixeira e Sérgio Reis no palco
Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.