Ignácio de Loyola Brandão abre a agenda do Salão de Ideias na FIL 2021

0
49
Compartilhe

Durante a 20ª FIL- Feira Internacional do Livro de Ribeirão Preto diferentes utopias estarão em debate e nortearão os encontros do Salão de Ideias com atividades que compõem a agenda desta edição histórica do evento que, neste ano, tem como tema central “Velhas e Novas Utopias”.

O evento literário acontece entre os dias 21 e 29 de agosto, com cerimônia de abertura no dia 20 (sexta-feira), em formato 100% on-line em função da pandemia do coronavírus.

A proposta dos organizadores da Feira do Livro é levar para os encontros do Salão de Ideias um diverso conjunto de participantes, mas que têm a veia literária em comum, reunindo conversas sobre política, meio ambiente, educação, cinema e literatura.

Escolhido como embaixador desta 20ª edição, o escritor araraquarense Ignácio de Loyola Brandão abre a programação da FIL e estreia o Salão de Ideias, no dia 21 de agosto, às 13h, comemorando os 40 anos de lançamento do premiado romance “Não Verás País Nenhum”, um de seus maiores sucessos, lançado em 1982.

Jornalista e escritor – com 46 livros publicados entre romances, contos, crônicas, infantis, viagens, reportagens e uma peça teatral – atualmente é cronista quinzenal do jornal O Estado de S.Paulo. Com seis Jabutis na carreira e o maior prêmio da literatura, o Machado de Assis (2016), Ignácio de Loyola Brandão pertence ainda às Academias Paulista (Cadeira 47) e Brasileira de Letras (Cadeira 11). A mediação será feita pela pedagoga Laura Abbad.

Logo após a abertura com o escritor, o patrono da FIL, Paulo Roberto Oliveira, conversa com os internautas, às 14h, sobre o tema “Utopia da água potável”. Paulo Oliveira é presidente da GS Inima Ambient, apoiadora da FIL desde 2016. A empresa é pioneira em sustentabilidade com produção própria da energia utilizada em sua estação de esgotamento sanitário.

O Salão de Ideias encerra a programação do dia 21 de agosto com a participação de Carlos Berriel e Evanir Pavloski, comandando o debate sobre “Utopia”, de Thomas More, às 18 horas. Considerado um dos grandes humanistas do Renascimento, o inglês Thomas More – filósofo, advogado, escritor, político – é autor de “Utopia”, livro clássico que trata de exploração econômica por quem domina o poder. 

Carlos Berriel é professor de Teoria Literária na Unicamp, editor da revista Revista Morus – Utopia e Renascimento e coordenador do U_TOPOS – Centro de Estudos sobre Utopia da Unicamp. Evanir Pavloski é Doutor em Estudos Literários pela Universidade Federal do Paraná, pós-Doutor em Teoria Literária pela Universidade de Campinas e professor do Departamento de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

No domingo, dia 22 de agosto, às 18 horas, o ator, humorista, roteirista e escritor brasileiro, Gregorio Duvivier, também estará na feira e participa do encontro “Entre uma poesia e outra, muitas utopias”. A mediação do bate-papo será feita pelo escritor João Augusto. Gregorio Duvivier ficou conhecido pelo seu trabalho no cinema e no teatro e, a partir de 2012, destacou-se como um dos criadores das esquetes do canal Porta dos Fundos, no YouTube.

A educação segue como temática do Salão de Ideias no dia 25 de agosto (quarta-feira), às 16h30, quando a professora ribeirão-pretana Elaine Assolini – uma das homenageadas da FIL 2021 – coloca em cena a questão: “as Utopias da Educação”. Formada em Pedagogia e Letras, Elaine Assolini atua no ambiente universitário há 25 anos, mas guarda experiências também no ensino fundamental e médio.

No dia seguinte, 26 de agosto, às 16h30, o escritor carioca Jessé Andarilho desembarca no evento trazendo um pouco da história de sua trajetória pessoal e como a literatura mudou a sua vida. Jessé Andarilho é escritor, roteirista, palestrante, produtor cultural, presidente do Centro Revolucionário de Inovação e Arte (CRIA) e criador do projeto marginow.

No dia 27 de agosto, sexta-feira, às 16h30, os cineastas Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles comandarão o Salão de Ideias com a temática “Utopias e distopias em Bacurau”. Um dos mais premiados filmes brasileiros recentes, Bacurau, conquistou belas avaliações de público e da crítica especializada no Brasil no exterior.

Formado em jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco, Kleber Mendonça Filho foi responsável pelo setor de cinema da Fundação Joaquim Nabuco durante 18 anos. Escreveu para a Revista Continente, Folha de S. Paulo e Jornal do Commercio, no Recife. É diretor artístico do Janela Internacional de Cinema do Recife e curador do departamento de cinema do Instituto Moreira Salles.

Seus curtas metragens (Vinil verde, Eletrodoméstica, Recife Frio) receberam mais de 100 prêmios no Brasil e no exterior. Juliano Dornelles começou sua carreira na publicidade e debutou no cinema, dirigindo o curta-metragem Biodiversidade (2005), ao lado de Daniel Bandeira. Começou a se destacar a partir de seu trabalho em Amigos de Risco (2007), drama no qual atuou como diretor, roteirista e designer.

A dupla dirigiu o longa Bacurau, que estreou na competição do Festival de Cannes em maio de 2019 e ganhou o Prêmio do Júri, além do longa Aquarius (2016), que também estreou na competição do Festival de Cannes e distribuído em mais de 100 países.

No sábado, dia 28 de agosto, quem participa é a educadora social Bel Santos, a partir de 13h. A conversa é sobre “A literatura como direito humano: utopia?”. Criadora do projeto Biblioteca Caminhos da Leitura, que promove leitura em espaços que vão de maternidade a cemitérios, Bel Santos é coordenadora do Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário (Ibeac).

No mesmo dia, o médico ribeirão-pretano Carlos Roberto Ferriani – também homenageado nesta FIL – marca sua presença no Salão de Ideias “Palavras que sou”, às 18h. Autor de três livros (dois de poesia e um romance), Ferriani ocupa cadeira na Academia Ribeirãopretana de Letras e na Academia de Letras e Artes de Ribeirão Preto, além de ser membro da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores.

O físico Marcelo Gleiser encerra o Salão de Ideias da Feira Internacional do Livro de Ribeirão Preto 2021, no dia 29 de agosto, a partir de 16h30 com o tema: A utopia é uma verdade?. Também astrônomo, escritor, professor e roteirista, Gleiser foi conselheiro geral da Sociedade Americana de Física e é ganhador de dois prêmios Jabuti. A mediação é de Fernanda Brando, professora do Departamento de Biologia da USP Ribeirão Preto.

“Com essa primeira edição internacional, a organização da FIL estende a possibilidade de participação e interação ao público de internautas de todo o Brasil e exterior, por meio do acesso on-line e gratuito”, afirma a presidente da Fundação do Livro e Leitura, Dulce Neves.

Segundo ela, para estes encontros do Salão de Ideias, a programação do evento selecionou escritores e profissionais que se destacam no eixo cultural mundial.

Considerada a segunda maior feira do livro a céu aberto do Brasil e uma das maiores da América Latina, a FIL terá toda programação exibida virtualmente por meio da plataforma oficial da Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto, entidade organizadora do evento: www.fundacaodolivroeleiturarp.com.

Com 21 anos de história e 19 edições realizadas, a Feira Internacional do Livro de Ribeirão Preto já reuniu mais de 3 mil escritores e artistas, com 6 milhões de leitores visitantes. Em 2021, o evento terá cerca de 60 atividades, durante 10 dias, e em torno de 110 horas de programação.

SERVIÇO

DIA 21 DE AGOSTO (sábado)

Ignácio de Loyola Brandão (com mediação de Laura Abbad)

Horário: 13h

Tema: Comemoração aos 40 anos de lançamento do romance “Não Verás País Nenhum”

Paulo Roberto Oliveira (presidente da GS Inima Ambient)

Horário: 14h

Tema: “Utopia da água potável”

Carlos Berriel e Evanir Pavloski

Horário: 18h

Tema: “Utopia, de Thomas More”

DIA 22 DE AGOSTO (domingo)

Gregorio Duvivier (com mediação de João Augusto)

Horário: 18h
Tema: “Entre uma poesia e outra, muitas utopias”

DIA 25 DE AGOSTO (quarta-feira)

Elaine Assolini

Horário: 16h30

Tema: “As Utopias da Educação”

Professora homenageada

DIA 26 DE AGOSTO (quinta-feira)

Jessé Andarilho

Tema: vida e obra

Horário: 16h30

DIA 27 DE AGOSTO (sexta-feira)

Juliano Dornelles Kleber Mendonça Filho

Horário: 16h30

Tema: “Utopias e distopias em Bacurau”

DIA 28 DE AGOSTO (sábado)

Bel Santos

Horário: 13h

Tema: “A literatura como direito humano: utopia?”.

Carlos Roberto Ferriani

Horário: 18 horas

Tema: “Palavras que sou”

Escritor homenageado

DIA 29 DE AGOSTO (domingo)

Marcelo Gleiser (mediação de Fernanda Brando)

Tema: “A utopia é uma verdade?”

Horário: 16h30


Compartilhe
Artigo anteriorVilla Coração, opção colonial e exclusiva em Monte Verde
Próximo artigoBlue Tree Thermas de Lins tem programação especial com clima esportivo
Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.