Artesanato, culinária e história serão expostos no Pavilhão Turístico e Cultural do 55º Fefol

0
59

A 2ª edição do Pavilhão Turístico e Cultural traz a diversidade da cultura de todo o Brasil, a história e as belezas de Olímpia. Durante o 55º Festival do Folclore, os visitantes podem conferir mais de 30 stands, de mais de 10 cidades diferentes, incluindo de outros estados como Minas Gerais e Tocantins. O objetivo é divulgar o artesanato local, regional e de outros Estados.

No espaço, serão expostos artesanatos em madeira talhada, capim dourado e em tecidos (pintura, bordados em pedrarias, rendas manuais); esculturas; móveis rústicos; customização de moda feminin;, semijoias; patchwork; degustação de queijos artesanais, doces cristalizados, geleias, compotas e balas artesanais; cachaças e licores, e lembranças de Olímpia.

As cidades que participarão do Pavilhão são: Águas de São Pedro, Americana, Campinas, Jaboticabal, Piracicaba, Olímpia, e microrregião de Barretos e São José do Rio Preto, além de representantes dos estados de Minas Gerais e Tocantis.

O Pavilhão contará ainda com um espaço especial para atendimento ao turista e divulgação dos atrativos turísticos da cidade, além de um ambiente para receber autoridades e veículos de imprensa que visitam a festa.

Arquivo Público

O Arquivo Público “Dr. Antônio Augusto Reis Neves” também estará no pavilhão e promete encantar os visitantes do 55º Festival do Folclore. Com um espaço privilegiado, o arquivo apresentará projeções de festivais antigos, além da exposição de documentos históricos e gravação de depoimentos com os grupos folclóricos e parafolclóricos presentes no festival.

Durante toda a semana, de 3 a 11 de agosto, os visitantes poderão assistir um curta-metragem do 31º Festival do Folclore, realizado em 1995. Ainda poderão fazer uma viagem no tempo folclórico, explorado todas as lembranças como: missa dos violeiros, apresentações no palco, desfile e imagens do saudoso Professor José Sant’anna.

Artigos históricos, fotos, jornais e revistas dos festivais antigos, que foram doadas pela família Abra, ficarão expostos no espaço. Além disso, a equipe do Arquivo Público acompanhará apresentações e atividades do festival para documentar a edição e, a cada dia farão entrevistas e registros de mostras de danças dos grupos participantes do festival, gravando pequenos documentários.

O objetivo é gerar o registro através de acervo digital e fotográfico, sendo que uma das funções primordiais do Arquivo é ser guardião das memórias e história dos olimpienses.

O espaço contará ainda com uma programação cultural especial, com apresentações dos grupos participantes do Fefol.

Programação

04/08

Grupo Folclórico Mineiro Pau e Boi Pintadinho –Santo Antônio de Pádua/RJ

Banda de Congo Beatos de São Benedito – Vila Velha/ES

05/08/2019

Grupo Folclórico Parafusos e Lavadeira – Lagarto/SE

06/08/2019

Grupo Parafolclórico Flor da Serra – Chã Preta/AL

Boi de Nina Rodrigues – São Luís/MA

07/08/2019

Grupo de Manifestações Parafolclóricas Parananin – Ananindeua/PA

CTG Passos dos Tropeiros – Rolante/RS

08/08/2019

Fandango de Tamanco Cuitelo – Ribeirão Grande/SP

Balé Popular de Bezerros “Papanguarte” – Bezerros/PE

09/08/2019

Associação Folclórica Boi de Mamão – Florianópolis/SC

Associação Folclórica Reisado Sergipano e Bumba Meu Boi – Guarujá/SP

10/08/2019

Catupé Filhos de Itamogi – Itamogi/MG

Guarda de Moçambique de Timóteo – Timóteo/MG

 

Artigo anteriorBoi Centenário, Clube da Escova, Dez anos de Óticas Diniz, Festa della Birra e Agerip
Próximo artigoFeijoada com Monobloco, APP Bora Elas, Últimos dias dos Minions no Iguatemi e mais
Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.