Avenida Bady Bassitt ganha ciclovia com quatro quilômetros

0
59

A Secretaria de Obras de Rio Preto abriu nesta semana licitação para a construção da ciclovia que  interliga as avenidas Philadelpho Gouveia Neto e Juscelino Kubitschec. Isto vai permitir  o acesso ininterrupto ao bicicletário do novo Terminal Urbano. Serão quatro quilômetros de vias exclusivas que ocuparão parte do canteiro central da avenida Bady Bassitt.

A data prevista para a abertura das propostas que serão apresentadas pelas empresas interessadas em participar do certame licitatório da obra, orçada em R$ 2,3 milhões, é 26 de novembro de 2019.

O projeto  prevê dois tipos de pavimento ao longo da ciclovia, sendo um rígido em concreto e outro de pavimento flexível, em revestimento asfáltico. Já foram iniciados serviços complementares na avenida Philadelpho Gouveia Neto, como a instalação de gradis separando a área para ciclistas do fluxo de veículos e passarela metálica sobre o rio Preto junto à rua General Glicério.

“Esse novo trecho conectará a ciclovia existente na Av. J. K. ao Parque Linear do Rio Preto (Av. Philadelpho) e ao Novo Terminal Urbano, passando pelas avenidas de fundo de vale. Com isso ampliamos as opções de mobilidade urbana do município”, explicou o secretário de Obras, Sérgio Issas.

 

Futuramente novas obras e serviços serão necessários para a interligação das ciclovias já existentes, além de reformas e intervenções pontuais. Algumas delas são:

  • Interligação do Novo Terminal às ciclovias existentes do Lago III e da Av. Chosso Okanobo;
  • Complementação da sinalização da ciclovia da rua João Mesquita, entre as Av. Ernani Pires Domingues e Cenobelino de Barros Serra;
  • Complementação da sinalização da ciclovia da Av. Ernani Pires Domingues, entre a rua João Mesquita e o Complexo Viário Yolanda Bassit;
Artigo anteriorEspecialistas se reúnem na FACERES para abordar perigos do “projeto verão”
Próximo artigoLA’BRIZZA Cosmetics recebe celebridades, Tem Nosso Flamenco no Sesi e mais
Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.