Security Expo – Castseg realiza Feira de Segurança Eletrônica em Rio Preto

0
208

 

Acontece dia 21 de março, no Vila Conte, em  Rio Preto, a Security Expo – primeira feira de Segurança Eletrônica do interior  de São Paulo. Organizada pela Castseg ,  rede de franquias,   o evento reúne as principais empresas  do mundo do segmento em uma área de estandes. Traz, também, uma programação de workshops  relacionados à segurança privada, pública, pessoal, patrimonial e empresarial.

Segundo os organizadores, o setor de segurança eletrônica cresce a cada ano.

“Para se ter ideia, em 2017 o faturamento foi de R$ 6,04 bilhões só no Brasil. Este é um assunto de interesse de diversos públicos como empresas de monitoramento, instaladores, integradores, administradores e síndicos de condomínios, poder público e população em geral”, explicam.

Um cenário que só cresce

Para este ano de 2018, a expectativa é ainda melhor . A presidente da Associação Brasileira de Segurança Eletrônica, Selma Migliori, divulgou que a expectativa é registrar um aumento de 2% em relação a 2017 com destaque para os segmentos de videomonitoramento e portarias remotas. A Cipa Fiera Milano, promotora de feiras no Brasil e uma das maiores da América Latina  espera um crescimento de faturamento de 10% a 15% para este ano.

Foi divulgado pelo Social Progress um índice que colabora para o crescimento deste setor, onde o Brasil aparece em décimo primeiro lugar como o país mais inseguro do mundo.

“Este clima de insegurança faz com que as pessoas, o poder público e as empresas procurem cada vez mais tecnologias e também, por outro lado, com este aumento da demanda, os fabricantes invistam em novas tecnologias colocando no mercado cada vez mais novidades, a preços mais acessíveis para aumentar a segurança”, ressalta Márcio Castilho, organizador da Security Expo e presidente da Castseg.

Segundo especialistas, apenas na capital paulista já existem um milhão de câmeras instaladas, ou seja, uma para cada sete habitantes.

Hoje no Brasil, o setor é composto por mais de 26 mil empresas, que geram 200 mil empregos diretos e mais de 1,7 milhões de empregos indiretos. Somente em Rio Preto e região estão no mercado cerca de 100 empresas.

Sobre a Cast Seg

Em 2001, o empresário Márcio Castilho fundou, em  Rio Preto, o Grupo CAM Segurança Eletrônica, grupo formado por sete empresas de monitoramento da cidade e da região. Dois anos depois, em 2003, Castilho mudou o nome para Castilho Segurança passou a atuar no segmento de distribuição, inicialmente atendendo apenas as empresas do Grupo CAM, porém a expansão como distribuidora de equipamentos eletrônicos de segurança foi tão grande que em 2006 a empresa ingressou no segmento de franquias, fornecendo todo o know-how adquirido nesses anos de experiência, adotando o nome Castset.

A empresa ganhou reconhecimento por meio do prêmio As Melhores Franquias do Brasil, realizado pela revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios, e se posicionou como a maior rede de segurança eletrônica do país.

A missão da empresa é garantir aos franqueados o compromisso de qualidade dos produtos e serviços prestados por meio da qualificação constante. Hoje, a empresa atua em 17 estados brasileiros com mais de 100 franquias.

Artigo anteriorNo aniversário da cidade, Sesc celebra a pluralidade da música rio-pretense
Próximo artigoOutback traz Ovo de Páscoa recheado com receita original de seu brownie
Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.