Construção civil movimentará em 2013 mais de R$ 100 bilhões

0
101
Compartilhe

Segundo estudo realizado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), a construção civil movimentará em 2013 mais de R$ 100 bilhões, valor bastante superior ao registrado em 2003, quando movimentava R$ 2,3 bilhões ao ano.

São José do Rio Preto é uma cidade de empreendedores. Daqui saíram várias franquias. Entre elas, destacamos o Instituto da Construção.

Com faturamento de R$ 6 milhões em 2012 , David Pinto, funadador do negócio, projeta lançar mais 200 unidades em 2013, atingindo um faturamento de R$ 30 milhões. A rede é a solução para acabar com o apagão de mão de obra qualificada no setor da construção civil.

Os bons resultados se devem ao rápido crescimento do setor no Brasil, impulsionado principalmente pelo “boom” imobiliário nos últimos anos, pelas obras de infraestrutura do PAC (Programa de Aceleração ao Crescimento) e aquelas destinadas aos grandes eventos esportivos, como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos.

Mais maduro, o setor irá demandar mais inovação para aumentar sua produtividade. “Mesmo em crescimento, a construção civil ainda sofre com a escassez de mão de obra qualificada, o que tem impacto na qualidade e agilidade para entrega das obras”, explica David Pinto.

Presente no mercado há um ano, o Instituto da Construção foi criado justamente para suprir o apagão de mão de obra e  já formou alunos em todo o país. São ao todo 60 unidades.

Entre os cursos oferecidos estão o de Instalador de Alvenaria Azulejista e Revestidor, Gesso Acartonado, Eletricista Instalador, Pintor de Obras, Decoração Residencial, Pereirão, Paisagismo, Mestre de Obras, Jardinagem e Instalador Hidráulico.

Com mensalidades que variam de R$ 99 a R$ 250, o Instituto da Construção atinge principalmente os trabalhadores das classes C, D e E, oferecendo cursos com grades modulares e flexíveis, com alternativas no período da noite e aos sábados. Ao finalizar cada curso, o aluno recebe um certificado.

 


Compartilhe
Artigo anteriorCirco Lando abre festival
Próximo artigoCursos técnicos tornam a entrada no mercado mais rápida
Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.