Elis Bohrer apresenta “Ela Romântica”

0
69
Compartilhe

A live “Ela Romântica”, que será exibida no dia 15 de novembro tem como temática, como o próprio nome diz, o romantismo. Percebendo o esfriamento de muitos casais como também a falta de eventos e oportunidade para unir novos, a cantora Elis Bohrer produziu um show, que ela mesmo definiu, sendo, “ Para estreitar os corações afastados pela pandemia”.

O show musical será transmitido dos estúdios da Proart Comunicação, em São José do Rio Preto (SP). Além da produção artística da própria cantora, a apresentação conta com a produção musical do baterista Rogerio Pinheiro e do baixista Claudio Jumbass.

Se apresentam também o pianista Saulo Molitor, o violinista Felipe Carvalho, o guitarrista Leo Naza e o percussionista Daniel Verllota.

“Nós vamos trazer clássicos do bolero brasileiro, pois consideramos um estilo peculiar para criar um clima amoroso. Então vai ter Nana Caymmi, Fafá de Belém, Cauby Peixoto, afinal, não podíamos esquecer os casais da melhor idade. Vamos fazer também alguma coisa de Tom Jobim, vai ter Rita Lee, Fagner, Guilherme Arantes, enfim, só tem ‘musicão’ no repertório desta live. Esperamos poder embalar os mais variados relacionamentos, namoro, casamento, ou até mesmo aquela ‘ficadinha’, porque não (risos)?”, disse Elis Bohrer.

Número de divórcios subiu durante a pandemia

Desde o ano passado, 2020, com o advento da pandemia do coronavírus, o Brasil passou a registrar um significativo aumento no número de pedidos de divórcio. Em 2020 foi registrado 1,5 % de aumento em relação a 2019.

Já em 2021, no período entre janeiro e junho, segundo um levantamento realizado pelo Colégio Notarial do Brasil (CNB), o percentual disparou, chegando a 24% a mais do que em 2020.

Outro dado que foi revelado também desta vez pelos Cartórios de Registro Civil de Pessoas Naturais, bem como pelas Varas de Família, Foros, Varas Cíveis e Tabelionatos de Notas de todo o país é a queda no número de casamentos, que em 2020 foi 2,7% menor se comparado com o último levantamento, realizado em 2018.

Ou seja, temos mais casais se separando e menos se unindo. Todos esses números podem se relacionar com a pandemia. No caso dos divórcios ela pode estar presente através da convivência entre os casais que precisou ser intensificada por causa do isolamento social. Os casamentos podem ter diminuído em razão da proibição de eventos, bem como por questões financeiras.

A arte como potência curadora antes, durante no sonhado pós pandemia

O período atípico vem revelando muitas coisas, e despertando a humanidade para questões antes vistas como não relevantes. A importância da arte para a saúde mental foi uma destas questões.

A “explosão” no número de acesso às lives musicais, teatrais e até mesmo de exposições de artes visuais como as plásticas e fotografia, mostrou como as pessoas ficaram carentes destes tipos de eventos.

“A arte tem o poder de transcender, transportar a nossa mente para outras realidades, outras vidas e dimensões.  Nós seres humanos precisamos, muitas vezes, sair da nossa realidade, que pode ser muito cruel, a pandemia é um exemplo. 

Além disso, quando você ouve uma música, assiste a um espetáculo de teatro, enfim, não importa o tipo de arte que você vai acessar, mas, você se sente inspirado, motivado e a saúde mental tem muito a ver com isso, com você olhar para a natureza e sentir inspiração. Eu acho que a beleza das coisas traz esse benefício pra gente”, explicou a cantora.

Live Ela Romântica – Elis Bohrer

Dia: 15/11

Horário: 20h

Onde assistir: Link


Compartilhe
Artigo anteriorGrupo Impper anuncia R$250 milhões em investimento no mercado imobiliário
Próximo artigoIngressos para Área Vip da Feijoada do Ed começam a ser vendidos
Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.