Grupo Utam apoia projeto de sustentabilidade a partir da borra do café

0
22
Grupo Utam apoia projeto de sustentabilidade a partir da borra do café

Atuando em várias etapas da atividade cafeeira, da produção à comercialização, a partir deste mês de junho, o Grupo Utam participa também da ponta final deste ciclo: a destinação dos resíduos gerados nos processos de produção ou até após o preparo da bebida para o consumo. A solução veio em forma de uma parceria em que o principal beneficiado é o meio ambiente.

Se antes o que era perdido nas etapas iniciais de produção do café era muitas vezes incinerado, agora é destinado à criação de peças artesanais e exclusivas assinadas pela Recoffee Design, uma empresa criada em Ribeirão Preto há quatro anos, pelas mãos da designer de produtos Ana Paula Naccarato e do biólogo Sérgio Camargo, que utiliza como matéria-prima a borra do café, ou seja, o pó que fica no filtro após ser coado pela água quente e que, normalmente, tem como destino final o lixo nos restaurantes, cafeterias, indústrias e lares brasileiros.

Além do fato de as empresas terem sedes na mesma cidade, a pandemia de Covid-19 foi outro fator que aproximou as marcas.

.

“Como nosso principal meio de obtenção de resíduo para matéria-prima são as cafeterias, com o fechamento imposto pela quarentena, o consumo nesses locais caiu, diminuindo a geração de borra de café”, explica Ana Paula.

A dificuldade de encontrar a borra de café para suas criações gerou uma oportunidade: aproximou a designer à indústria cafeeira. Com a parceria, todo o material destinado pelo Grupo Utam entra na linha de produção da Recoffee Design. A partir da borra de café e elementos aglutinantes naturais, Ana Paula e sua equipe disponibilizam uma linha de mais de 60 modelos, entre biojoias, objetos de decoração e peças de revestimento de paredes, tudo no tom terroso que as diversas variações do café podem oferecer.

O Grupo Utam inaugura um novo processo com a iniciativa para reutilização do material orgânico que resta da sua produção, visando diminuir a parcela de lixo que é produzido e descartado em lixões e aterros sanitários. A proposta é minimizar a decomposição da borra de café no meio ambiente, de forma a diminuir os gases de efeito estufa e também de chorume.

Nos últimos anos, o grupo vinha desenvolvendo pesquisas e levantamentos para encontrar parceiros com projetos inovadores para o desenvolvimento de soluções ambientais e encontrou na criação da designer Ana Naccarato uma finalidade de valorização artística e de fomento à economia criativa. “O projeto de reutilização da borra de café voltado para a criação de peças artesanais e joias naturais veio ao encontro de uma antiga busca de nossa indústria para um descarte consciente e reutilizável”, explica a diretora do Grupo Utam Ana Carolina Soares de Carvalho.

“A reutilização do composto vegetal gera um novo ciclo do café, que nasce no pós-consumo e traz com ele a reflexão sobre os ciclos produtivos, o desperdício e seu impacto ambiental”, avalia a designer.

Produtos disponíveis


Além da doação dos resíduos gerados por sua produção e consumo interno de café, o Grupo Utam incorporou em sua loja virtual, na seção Design Sustentável, toda a linha de biojoias e objetos de decoração criados pela Recoffee Design. São colares, brincos, vasos, xícaras, bandejas e relógios de parede, entre outros, disponíveis para compra no site www.lojautam.com.br, que oferece, ainda, uma variada lista de produtos da marca de cafés, entre as opções torrado e moído, solúvel, cappuccino, cápsulas monodoses, filtros e copos descartáveis.

Artigo anteriorOlímpia ultrapassa Aparecida e se torna segunda cidade paulista em número de leitos
Próximo artigoGrupo da construção civil promove atividades de conscientização ambiental
Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.