Levedura seca produzida pela Tereos é usada como componente de ração e ganha o mundo

0
103

Um projeto piloto da Tereos, implementado para produzir insumos que vão compor a base de ração animal e iniciado em uma de suas unidades produtivas no interior paulista, ganhou o mundo.

Por meio de uma parceria com a empresa brasileira ICC, líder em soluções inovadoras para a indústria de nutrição animal e produtora de formulações prontas para fabricação de ração, a levedura seca da cana-de-açúcar, produzida na unidade Mandu, em Guaíra (SP), é exportada para mais de 65 países. Dentre os principais destinos estão China, Tailândia, Taiwan, Vietnã e EUA.

Com produção iniciada em maio de 2019, a levedura é obtida a partir de resíduos da fermentação do etanol. São microrganismos que realizam a fermentação alcoólica, ou seja, transformam o açúcar da cana em etanol. O resíduo excedente deste processo, considerado rico em aminoácidos, vitaminas do complexo B e proteínas, tem indicação para o uso em rações de aves, suínos, bovinos, caprinos, peixes, camarões, equinos, cães e gatos.

Em 2020, foram produzidas 4,5 mil de toneladas do produto. Para 2021, a expectativa é produzir o mesmo montante.

“A matéria-prima para fabricação de levedura é o creme de fermento oriundo do processo de fermentação de etanol. Usamos o excedente de creme da nossa própria fermentação e recebemos creme de outras unidades para complementar a produção”, explica Joana Bischoff, gestora de Laboratórios e Qualidade da Tereos.

Após o processamento, a Levedura Inativa Seca é transportada até o silo de estocagem e, posteriormente, passa por uma peneira e então é envasada em big bags de 800kg e comercializada para a ICC.

Sobre a Tereos

Com visão de longo prazo no processamento de matérias-primas agrícolas e desenvolvimento de produtos alimentícios de qualidade, a Tereos é uma das líderes nos mercados de açúcar, álcool/etanol e amidos. Os compromissos do Grupo com a sociedade e com o meio ambiente têm contribuído com a performance da companhia no longo prazo, enquanto reforça nossa atuação responsável. O Grupo cooperativo Tereos reúne 12.000 agricultores e possui expertise reconhecida no processamento de beterraba, cana-de-açúcar, cereais e batata. Com 48 unidades industriais, operações em 18 países e o compromisso de 22.300 colaboradores, a Tereos atende seus clientes em seus mercados locais, com uma oferta ampla de produtos. Em 2019/20, o Grupo obteve um faturamento de € 4,5 bilhões.

Artigo anteriorHospital de Base e Associação Comercial lançam campanha para conscientizar no combate ao coronavírus
Próximo artigoComeça nesta quinta-feira vacinação para gestantes e puérperas sem comorbidades
Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.