Rio Preto é a 9ª melhor cidade do Brasil em saneamento básico

0
239

Em novo Ranking do Saneamento Básico Rio Preto aparece em 9º lugar  com a melhor qualidade de serviço de saneamento . Os números foram  divulgados pelo Instituto Trata Brasil. O  Ranking do Saneamento – 100 Maiores Cidades do Brasil foi realizado com dados do Ministério das Cidades. Usaram dados do seu Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) – ano base 2016.

Os resultados indicam que Rio Preto deu um salto considerável.  Saiu do 23º lugar para ficar em as dez melhores cidades do País. Em 1º lugar está a cidade de Franca.

José Carlos Pedro de Oliveira, superintendente da autarquia em 2016, garante:

“Temos mais de 95% de água tratada e distribuída para a população. Temos mais de 98% de esgoto coletado e tratado em toda a cidade. Associado a isso, temos uma das menores tarifas  do Brasil. Isso nos coloca numa situação privilegiada.Temos quantidade, qualidade e uma tarifa bem acessível.”

Os resultados do ranking indicam que os números nacionais avançam pouco. Em 2016, os indicadores mostravam que 35 milhões de brasileiros (17% da população naquele ano – 207 milhões) ainda não era abastecida com água potável. E ainda mais de 100 milhões (48% da população) não tinha coleta de esgotos. Soma-se a isto que  somente 45% dos esgotos gerados no país eram tratados.

Ao transpor esta realidade para as 100 maiores cidades do Brasil, onde mora mais de 40% da população, víamos que 93,62% da população tinha abastecimento de água, 72,14% coleta de esgotos e 54,33% dos esgotos gerados eram tratados.

 

Perda

Em Rio Preto, as perdas da água produzida pelo Semae são da ordem de 28%. O Semae tem um Programa de Redução de Perdas para diminuir de 28% para 20% a perda física e comercial, nos próximos anos. A autarquia tem atuado na substituição de ramais, que hoje são em torno de 165 mil. Também foram intensificadas as ações educativas sobre o uso racional da água.

 

Investimentos do SeMAE  Rio Preto

Foi entregue no Distrito Industrial Dr. Carlos de Arnaldo, o novo poço no Aquífero Bauru, com uma vazão 22,5 mil litros por hora, com capacidade de atender 2 mil pessoas. Construção de um reservatório de água com capacidade de armazenamento de 650 mil litros. O complexo irá atender, futuramente, uma população de até 8 mil pessoas.

O Semae está construindo mais um módulo de tratamento de esgoto, ampliando a capacidade de atendimento da ETE Rio Preto em 150 mil pessoas. Quando a obra estiver finalizada, no ano que vem, a capacidade da ETE saltará para atender 600 mil pessoas.

Em Talhado, está sendo feita a substituição e ampliação da rede de esgoto do distrito. Os 1.800 metros de manilhas de barro estão sendo substituídos por canos de PVC, material que traz mais qualidade ao tratamento de esgoto. Construção de uma elevatória de esgoto (em fase de projeto).

Está em construção um interceptor de esgoto, de 900 metros, na avenida Philadelpho Manoel Gouveia Neto. A obra vai substituir a rede existente, localizada na margem esquerda do rio Preto, no trecho que vai do viaduto Jordão Reis ao Lago 1 da Represa Municipal. Também está sendo construída uma nova rede de interceptor de esgoto na avenida Ernani Pires Domingues. São 1.600 metros de tubulação no lado esquerdo do córrego Piedade. A obra vai da rua Chicrala Abrahão à avenida Aparecida do Taboado.

Tem ainda a construção do interceptor de esgoto do fundo dos Condomínios Belvedere Terra Nova, passando por baixo da BR 153, ao lado do bosque municipal e terminando no residencial Santa Ana. São 420 metros de tubulação feitos por método não destrutivo, ou seja, por túnel debaixo da terra e sem a abertura de valetas. No total, são 3.200 metros de tubulação.

A perfuração de dois novos poços no Aquífero Bauru, localizados no bairro Solo Sagrado e Jardim Moysés Miguel Haddad, vai atender uma população de 6 mil pessoas.

 

Artigo anterior20ª Noite Italiana em prol da Alarme acontece sexta, dia 20
Próximo artigoSbornia Bar escolheu o “Frango Crocante” para o Comida di Buteco
Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.