Saúde mental é tema das palestras de abril  do Riopreto Shopping Cultural

0
128
Saúde mental é tema das palestras de abril  do Riopreto Shopping Cultural

 

“Saúde mental” é o tema das palestras de abril do Riopreto Shopping Cultural. O ciclo debaterá os principais transtornos da atualidade: bipolaridade, depressão, ansiedade e síndrome do pânico. Segundo a OMS –  Organização Mundial da Saúde, uma em cada 10 pessoas no mundo sofre de algum distúrbio. Todas as palestras são abertas e gratuitas, e acontecem todas as segundas-feiras, a partir das 20h.

O ciclo começa com a palestra “As fronteiras da bipolaridade”, no dia 03, com a psicóloga analista transacional, Kátia Ricardi de Abreu. O transtorno afetivo bipolar é um distúrbio mental em que as pessoas alternam entre períodos de muito bom humor e períodos de irritação ou depressão. As chamadas “oscilações de humor” entre a mania e a depressão podem ser muito rápidas e podem ocorrer com muita ou pouca frequência.

“Mais de 2 milhões de casos por ano são registrados no Brasil. A causa exata do distúrbio bipolar não é conhecida, mas fatores ambientais e genéticos têm influência. Como identificar e como lidar com uma pessoa bipolar? Tem cura? Como é o tratamento? Compreender as fronteiras que permeiam o cotidiano de quem sofre com a doença é importante”, explica Kátia.

No dia 10, quem ministra a palestra “Enfrentando e superando a depressão” é o psicólogo cognitivo comportamental, Alexandre Caprio. O transtorno de depressão tem crescido em níveis alarmantes no Brasil e no mundo. Silenciosa e geralmente confundida com tristeza, essa doença não escolhe gênero, idade ou classe social.

“Muitas vezes, sem diagnóstico correto e desacreditada pela família, a vítima deste transtorno acaba vendo a morte como a única saída possível. Conhecer os sintomas de cada fase da depressão é essencial para enfrentá-la e vencê-la”, pontua Caprio.

No dia 17, a psicóloga Mara Lúcia Madureira, também da linha cognitivo comportamental, fala sobre a ansiedade. Segundo a especialista, “não precisa entrar em pânico, a ansiedade pode ser controlada, empregada com inteligência e trazer inúmeros benefícios”.

Diante de uma situação percebida como ameaçadora, o sistema nervoso se altera e, automaticamente, o organismo entra em modo de sobrevivência: ou o sujeito ataca, ou se defende, ou foge ou fica paralisado.

“O cérebro não faz distinção entre perigos reais e imaginários. reage do mesmo modo nas duas situações. No segundo caso, os ataques podem ser físicos ou verbais. As defesas podem ser a negação dos fatos, utilização de mentiras ou reações psicossomáticas. A fuga é o não enfrentamento ou evitação de confrontos, de situações novas, desafiadoras ou de riscos calculados”.

 

Para fechar o ciclo no dia 24, a palestra “Pânico: como lidar com ele”? com o psiquiatra Wilson Daher.

Segundo o especialista, “o transtorno de pânico é uma entidade psiquiátrica das mais comuns no atendimento clínico e, dependendo do grau com que se manifesta, torna-se um obstáculo severo no cotidiano das pessoas. No entanto, na área de saúde mental há algumas maneiras de torná-lo menos aflitivo”.

 

Artigo anteriorFestival holandês Milkshake, inédito no Brasil, celebra a diversidade no no Autódromo de Interlagos
Próximo artigoBlogueira Marina Xando vem ao Riopreto Shopping para lançamento
Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.