Com 363 casos positivos , coronavírus faz o 11° óbito em Rio Preto

0
221
coronavírus

Rio Preto registrou nesta quinta-feira, dia 14, o 11° óbito em decorrência do coronavírus (Covid-19). Trata-se de uma mulher de 74 anos que apresentou os primeiros sintomas no dia 26 de abril, sendo internada no dia 4 deste mês.

A vítima apresentava comorbidades vindo a óbito.

Agora são 363 casos positivos para Covid-19 no munícipio, aumento de 11 casos nas últimas 24 horas.

Ao todo 79 pessoas estão recuperadas, 97 contaminados são profissionais da saúde e 68 apresentaram síndrome respiratória aguda grave (SRAG).

São 4.810 pacientes atendidos com estado gripal, com 2.534 testes realizados e 2.171 dando negativo para a doença. O coeficiente de incidência em Rio Preto é de 78 casos para cada 100 mil habitantes.

O índice de letalidade agora é de 3%.

O que chama a atenção é o aumento de 66%, no período de 7 dias, de pessoas internadas em decorrência de problemas respiratórios agudos graves, a chamada SRAG. No dia 6 de maio eram 54 pacientes e nesta quarta-feira, dia 13, 90 pessoas.

“ Temos que manter o distanciamento para não chegar em uma ocupação máxima dos leitos de internação. Garantir que essa curva seja achatada o máximo possível”, disse a gerente de vigilância epidemiológica da Secretaria de Saúde de Rio Preto, Andréia Negri.

Dos 476 SRAG notificados, 90 permanecem internados (66 em enfermarias e 24 em UTI). Do total 23 são positivos para Covid-19 (12 em enfermaria e 11 em UTI).

 

A gerente da vigilância epidemiológica, Andréia Negri, adiantou que será apresentado aos secretários municipais o Plano elaborado pela Prefeitura que detalha a situação envolvendo a pandemia na cidade.

Será  apontado em quais momentos poderão ser retomadas atividades relacionadas ao comércio e indústria.

O Plano será composto por indicadores epidemiológicos, número de ocupação de leitos e detalhes da assistência voltada aos profissionais da saúde, como condição de trabalho e situação das unidades.

“Adaptamos o Plano do Estado. A meta é em relação ao isolamento. Temos que ter um isolamento de 55% e os indicadores diminuindo. Aí é possível uma flexibilização. Essa meta é de toda população”, destacou Andréia Negri.

Não está descartada ativação do hospital de campanha, mas isso só será colocado em prática, caso extrapole os números de leitos disponíveis em Rio Preto.

 

Artigo anteriorSem previsão de retorno das aulas presenciais, Educação tem novo calendário
Próximo artigo Rio-pretense realiza rifa solidária de camisa do atacante Dudu, do Palmeiras
Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.