Prefeitura prevê gastos de R$ 8 milhões para manter o abastecimento de oxigênio

0
15

O objetivo é manter sempre atendimento aos pacientes de covid-10; em janeiro aumentou o consumo

O abastecimento de oxigênio está mantido  nas unidades de atendimento de Covid-19 de Rio Preto, mesmo com a crescente demanda registrada nos últimos dias. Para isso, os investimentos  da Prefeitura, através da Secretaria de Saúde, devem chegar a R$ 8 milhões nos próximos meses.

O assunto foi tratado com a empresa fornecedora White  Martins, em reunião do prefeito Edinho Araújo, do secretário da Saúde, Aldenis Borim e  com representantes da empresa, no último dia 22. Também participaram do encontro o secretário da Fazenda José Martinho Ravazzi e o procurador-geral do município, Luís Roberto Thiesi.

“O que discutimos com  a empresa foi a necessidade de ser mantido o atual atendimento do consumo  das unidades, bem como a realização de um planejamento para ações futuras, tendo em vista a demanda crescente do insumo na cidade e em todo país”, disse o prefeito Edinho Araújo

“Até o momento, não faltou oxigênio nas nossas unidades porque temos feito gestões para manter os contratos dentro dos prazos e garantir as entregas programadas.  Estamos apenas acertando a logística de distribuição e a instalação de tanques e novos equipamentos”, explicou o secretário Aldenis Borim.

O contrato  foi feito em 2019 para o fornecimento de oxigênio, sendo usados 210 mil metros cúbicos , investimento de R$ 1.270.500.

Segundo  a chefe do Departamento Administrativo da Saúde Daniele Pinheiro, foi feito um redimensionamento em razão da demanda crescente e novo contrato foi feito para 350 mil metros cúbicos de oxigênio em gás (para cilindros) e mais 100 mil metros cúbicos  em líquido medicinal (para tanques), num valor aproximado de R$ 3.550.000.

Em janeiro, verificou-se num novo aumento no consumo e que os estoques de oxigênio poderiam não ser suficientes para atender à demanda. Houve a necessidade de um replanejamento para a realização de nova licitação, o que está sendo fechada agora, com previsão de gastos de R$ 8 milhões.

“ A Saúde não tem medido esforços para garantir o atendimento a todos os pacientes com Covid. Não deixamos ninguém sem atendimento até agora. Estamos buscando todos os meios e recursos financeiros para manter os estoques de oxigênio e insumos “, finalizou o prefeito Edinho Araújo.

Artigo anteriorEducação terá mais de 700 profissionais vacinados contra Covid-19
Próximo artigoComo se tornar um empreendedor digital no Pinterest
Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.