Casa de Espanha resgata barraca espanhola na Festa das Nações do São Judas

0
460
casa da espanha

A Associação Casa de Espanha está à frente, este ano, da barraca espanhola no evento

Depois de quase 10 anos sem a barraca espanhola na tradicional Festa das Nações do Serviço Social São Judas, em Rio Preto, a Associação Casa de Espanha estará à frente, este ano, da barraca espanhola no evento.

A Casa de Espanha é  formada por descendentes de espanhóis em Rio Preto que buscam manter a tradição e as raízes espanholas na cidade. A tradicional Festa das Nações do São Judas  começa nesta quinta-feira, 31, e vai até o sábado, dia 2.

Os pratos que serão servidos estão sendo preparados pelos voluntários da associação.  Ramón Gerez estará  à frente da confecção de centenas de porções de paella, diariamente, e seu irmão Jesús, responsável pela preparação do mantecal.

O cardápio oferecido consiste em tapas espanholas (aperitivos para entrada), paella marinera (prato preparado com arroz e frutos do mar), paella valenciana (prato preparado com arroz, frutos do mar e carne), sangria (bebida feita com base numa mistura de vinho, sumo de fruta, pedaços de frutos e açúcar) e mantecal espanhol (biscoito à base de farinha e açúcar). Os preços variam entre R$6 e R$25 por porção.

Casa de Espanha e manutenção da cultura espanhola

Rio Preto possui pelo menos 10 mil habitantes que dividem a cidadania brasileira com a espanhola. São espanhóis vindos para cá ou descendentes que têm a dupla nacionalidade. Essa colônia, junto à Casa de Espanha, se organizou para ter um vice-consulado da Espanha na cidade.

O Álbum Ilustrado da Comarca de Rio Preto 1927 – 1929, texto sobre a colônia espanhola local, relata que esses imigrantes constituíram uma das etnias mais importantes no conjunto da sociedade de Rio Preto no início do século XX.

E há indícios de sua participação desde os primórdios da ocupação da região. Eles atuavam no desmatamento de terras para plantio do café. Segundo estudo do doutor em história pela Unesp Henry Marcelo Martins da Silva, a concentração de imigrantes na área rural de Rio Preto era na grande maioria de espanhóis.

Já entre os trabalhadores urbanos, eles representavam 24% do total. Moravam em Rio Preto – época que a região ainda não havia se desmembrado em outros municípios – 8.570 eram espanhóis. Dez anos depois, o número subiu para 9.351. Enquanto no restante do Estado houve queda, com emigração dos estrangeiros que se depararam com fortes restrições para o trabalho.

Além de semear a terra, eles atuavam no comércio de Rio Preto. A Lista de Profissões do Álbum de 1919 destaca que, naquele ano, 24 estabelecimentos pertenciam a espanhóis, uma década depois passaram a ser 69, ou seja, foram abertos mais 45 pontos comerciais. Devido ao contingente de representantes da etnia, a cidade passou a contar com um Vice-consulado da Espanha.

Em 1920, Rosendo Martinez, junto com outros imigrantes espanhóis, fundaram a Associação Comercial, que hoje leva o nome de Associação Comercial e Empresarial de Rio Preto (Acirp).

Com ele, estavam os comerciantes Francisco Vidal e Hemetrio Pascua Valle, o engenheiro Eduardo Campoó, proprietários de grandes estabelecimentos, e o maior produtor de café no município, Manuel Reverendo Vidal, conhecido como o Rei do Café na região.

Hoje a contribuição da colônia espanhola se dá em diferentes setores rio-pretenses, como transportes, educação, turismo, agroindústria, bebidas, alimentos, frigoríficos, imprensa, agricultura, comércio, atacadista, literário entre outros.

Vice-consulado

O Vice-consulado da Espanha em Rio Preto é um braço do consulado geral e faz todo o atendimento consular, como documentação de nascimentos, casamentos e óbitos, mas sua atuação será mais abrangente. A unidade facilita negócios entre Brasil e Espanha, além de resgatar a história dos espanhóis na região e atuar nas áreas da cultura e educação.

O vice-consulado funciona no edifício Iguatemi Business, e compreende ainda a região de Araçatuba. O vice-cônsul, Antonio Cabrera, é neto de Antonio Cabrera Batista, que veio da Espanha para Neves Paulista, em 1891, para trabalhar na lavoura do café.

Telefone: +55 17 3355 5552
E-mail: vcespanariopreto@gmail.com
Endereço: Edifício Iguatemi Business Av. Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira nº 5000 – 7º Andar- Sala 706, bairro Iguatemi – Rio Preto

Festa das Nações

A 24ª edição da Festa das Nações acontece entre os dias 31 de maio e 2 de junho Acontece no Serviço Social São Judas Tadeu e reúne gastronomia de 13 países.  Muita  música e dança com um propósito nobre: a solidariedade.O evento arrecada recursos para ajudar a manter os projetos do São Judas Tadeu. A entidade  assiste diariamente 400 crianças e adolescentes.

A festa contempla as barracas Alemã, Americana, Árabe, Argentina, Brasileira, Chilena, Espanhola, Francesa, Tailandesa, Italiana, Japonesa, Portuguesa e Suíça. Tem, também,   bar com cerveja, refrigerante e água da linha Coca-Cola.O valor dos pratos varia entre R$ 1 a R$ 80.

 

 

Artigo anteriorJosé Hamilton Ribeiro, “O jornalista mais premiado do Brasil”, tem lançamento no Iguatemi Rio Preto
Próximo artigoIguatemi Rio Preto recebe parque inflável da Turma da Mônica
Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.